A Cabeça do Dragão

O Poleiro dos Grifos, Parte I

10/05/425AC.

Os aventureiros entraram no antigo templo elfico dedicado a Shinare a Asa do Grifo. Esse templo é uma grandiosa construção que magicamente sobreviveu ao ataque da grande dragoa verde Beryllinthranox que dizimou toda a vila em 388AC, a vila elfica sempre foi escondida na floresta, ninguém sabe ao certo como Beryl encontrou a vila.
Ao enfrentar uma massa gelatinosa disforme e viva, o Pudim Negro, os aventureiros tiveram 2 baixas: os guerreiros Bertold e Hamish foram “dissolvidos” junto com todo o seu equipamento. Gakhan, o dragoniano, perdeu sua mais nova lança mágica na batalha causando um grande prejuízo a
Companhia Noturna.
Com muito custo e numa reviravolta “estratégica”, Azael derrotou a criatura.

View
O Druida Monstruoso, Parte I

11/05/425AC

Os aventureiros que ficaram do lado de fora do templo fizeram um acampamento para se prevenir contra emboscadas como habitual.
Alguns deles aproveitaram o momento para investigar os escombros da vila de Grifonost. Com o barulho eles chamaram a atençao de um viajante peculiar.
Farnuk, estava vagando pela floresta em busca de alguem que pudesse salvar sua amiga Tereessa Ilinsyraearr que havia sido petrificada. A mulher é filha de um nobre e foi emboscada caçando uma besta mágica na floresta, sua estatua estava sendo guardada por Quarion, um elfo, guerreiro e amigo que ofereceu fidelidade ao Grupo se salvassem seu amor secreto.
Os aventureiros decidiram ajudar enquanto Farnuk trazia um de seus amigos d’ volta. Os heróis deveriam buscar o sangue da criatura que transformou a princesa em pedra.
Se tratava de um basilisco, que foi caçado e morto por Croonallway, Estranho, Belfer O traidor do Sangue,Meleesa Khaldeist, Quarion e Azael.

View
O Poleiro dos Grifos, Parte II

12/05/425AC

Adentrando novamente o rochedo onde fica o templo de Shinare chamado “O Poleiro do Grifo”. Procurando por algum segredo do passado de Belfer que ele se recusa a revelar, os aventureiros enfrentaram um saqueador de tumbas, um humanoide estranho com poderes sobrenaturais. Pesquisando em outra sala acabaram encontrando o tumulo de sua antiga amada, Belfer ao perceber que o que ele estava procurando não estava no caixão caiu em desespero e violou a mortalha de sua amada até arrancar seu crânio na frente de seus amigos.
Mais tarde chegaram a conclusão de que precisariam encontrar as 4 garras de pedra faltantes na estatua de grifo presente na sala central. O Grupo já possuia 2 dessas garras, faltava mais 2 e Croonallway, possuído pelo poder de Melfas usou seu corvo vigia para vigiar o dragão que estava no topo se alimentando enquanto Belfer usou seu anel de invisibilidade para invadir o covil em busca da 3ª garra, ao observar a caverna ele encontrou a garra junto ao tesouro da criatura, o ladino pegou tudo de mais valioso que conseguiu e fugiu para junto de seus companheiros.
Mas Rotarovox retornou de seu lanche e se enfureceu com o seu lar roubado, foi imediatamente atras dos humanoides ladrões de seu tesouro, que correram se separando enquanto ele bloqueou a entrada do templo impedindo a entrada e saída do grupo.
Mais uma vez usando o corvo, os aventureiros de dentro conseguiram se comunicar com os de fora e usando magias e itens mágicos, Quarion, Belfer O traidor do Sangue, Meleesa e Croonallway conseguiram sair pela caverna do dragão e se reagruparam com o restante.
Agora prontos para planejar as ações seguintes.

View
O Poleiro dos Grifos, Conclusão

380ae08fe9939f8458a8635524f54999.jpg

12/05/425AC

Após montar seu plano de ataque os aventureiros entraram novamente no templo e deram combate ao Dragão Vermelho. Com um grande grupo de combatentes envolvidos no combate, muitos ferimentos de ambos os lados, a fera se preparou para seu sopro de fogo mortal quando Bertold, ainda na forma de centauro, disparou a sua “flecha da esperança” e abateu a criatura.
Tentando encontrar a 4a garra de pedra e abrir a passagem, Croonallway conseguiu acessar o bosque dos Grifos no topo do rochedo. Chegando lá encontrou o túmulo que Alys fez para Belfer, onde estava enterrada sua antiga cota de malha, e na lápide a seguinte inscrição:

" BELFER
Ainda há bondade em seu coração"

Croonallway já havia pego a armadura e estava se preparando para descer quanto dos céus apareceu Karuan Megien Andalantals montado num grifo negro. Eles conversaram sobre o que havia acontecido no templo. O dragão vermelho estava caçando os filhotes de grifo que cresciam no topo do rochedo espantando os demais grifos dali. O túmulo de Belfer O Traidor do Sangue hávia sido feito por Alys quando seu amado foi expulso da vila, funcionava como um santuário para ela. A garota acreditava que um dia ele voltaria a ser bom. O bruxo explicou para o manto branco sobre o ocorrido com Hogan Bight e Phartunax e que o grupo estava sendo procurado, Karuan Megien Andalantals iria procurar na torre de Wayreth alguma forma de inocentar seus amigos e pesquisar sobre o ser sombrio que eles visualizaram em Casquete.

Karuan Megien Andalantals ficou decepcionado ao ver o que Belfer O Traidor do Sangue havia feito com o tumulo de sua filha e a plicou uma magia na armadura do elfo para tentar realizar o ultimo desejo de Alys.
Percebendo que enquanto fosse uma má pessoa sua armadura seria inútil, Belfer O Traidor do Sangue deu a cota de malha para Bertold.

View
O Druida Monstruoso
Conclusão

13/05/425AC

Com o aparecimento de Karuan Megien Andalantals, Farnuk conseguiu concluir o seu feitiço e trazer Tereessa Ilinsyraearr de volta.
Os aventureiros escoltaram todos de volta para o assentamento élfico. Notaram neste lugar que as cabanas ficavam em volta da Ponte de Zivlin um ente adormecido a séculos. Tando os elfos quanto parte dos aventureiros oraram em volta da árvore agradecendo o retorno de sua princesa quanto para que a divindade operasse o milagre de trazer de volta para seus corpos Farnuk e Bertold, que após uma cairem num sono profundo acordaram recuperados de suas transformações.
Tereessa Ilinsyraearr reconheceu o esforço de Quarion e prometeu guardar seu coração para o guerreiro até que ele retornasse.
Os aldeões comemoraram as dádivas com uma grande festa.
E na manhã seguinte o Grupo partiu para o Norte em busca do instrumento Irda guiados por Croonallway.
O Templo Irda

View
O Templo Irda
Preludio

15/05/425AC

Croonallway recebeu de um Irda recluso a missão de buscar uma trompa mágica perdida na floresta de Wayreth e como guia ganhou uma ponta de flecha mágica que funciona como uma bússola para a localização do instrumento.
Os aventureiros combinaram então que depois de ajudar Belfer O traidor do Sangue iriam recuperar esse item. Eles viajaram pela floresta passando pelos perigos que só essa mata magicamente alterada poderia proporcionar até chegarem a uma antiga pirâmide escondida entre as árvores e colinas.

templo_irda.jpg

View
O Templo Irda, Parte I
Luz e Artes

16/05/425ac
Adentraram a antiga pirâmide na manhã seguinte após a terem encontrado. Apesar de antigo, por dentro o templo era belo e bem conservado, adornado com motivos artisticos, como pinturas e instrumentos musicais. O Grupo superou obstáculos como mortos vivos, armadilhas e monstros dos esgotos praticamente ileso. Algo que os intrigou foi uma estátua que apontava para um simbolo relacionado a luz e outro a arte, até onde entenderam havia ali um mecanismo associado entre o simbolo da luz e a porta de entrada.
Explorando mais pelo lugar encontraram o fantasma de um importante musico entoando uma bela cançao em sua lira, descobriram que era importante pois havia uma estatua dedicada com oferendas, mas nao conseguiram se comunicar com ele e ignoraram-no.
Descendo para um nivel inferior se depararam com uma porta de pedra que nem mesmo Belfer O Traidor do Sangue conseguiu abrir, e de tras dessa porta vinha uma voz feminia e sibilante, que pedia por comida e liberdade, chegou ate a conjurar magias para convencer os aventureiros mas sem sucesso,Croonallway a principio pensou q fosse uma Naga, e durante a conversa percebeu que se tratava de outro ser, mas estava decidido a abrir aquela porta.

View
O Templo Irda, Parte II
Conclusão

18/05/425ac
Voltaram para o acampamento para decidir com o Grupo o que fazer, decidiram entao não libertar a criatura, por isso só entraram novamente na pirâmide Azael Castian, Hart, Estranho, Belfer O Traidor do Sangue e Quarion.
Foram para outras partes ainda não exploradas onde deram combate a uma dupla de monstruosos lupinos goblinoides, além de outra aberração dos esgotos que lhes deu trabalho graças a uma armadilha.
Caminhando mais um pouco se depararam com uma espécie de capela, com um pequeno altar no centro onde estava depositada a trompa mágica. Os aventureiros sabiam que se tratava da mesma que estavam procurando pois já haviam encontrado uma ilustração explorando o templo, então pressentindo o perigo de uma armadilha laçaram o instrumento usando uma corda e o puxaram a distância, mas nao foi o suficiente para que escapassem da armadilha mágica. Uma rajada na forma de arco-iris saiu da capela atingindo a todos, cegando e ensurdecendo momentaneamente os exploradores. Passando a cegueira e a surdez, Azael Castian e Estranho perceberam que estavam feridos, Belfer O Traidor do Sangue estava ileso, Quarion havia virado pedra e Hart desaparecido.
Hart foi transportado para o plano etéreo, onde encontrou com o fantasma músico em sua verdadeira forma, o guerreiro pediu por ajuda e foi atendido com uma condição, que todos apreciassem e reverenciassem a arte do harpista. E assim os aventureiros o fizeram, Harte e Estranho homenagearam o Irda corretamente e foram recompensados por isso, e ele se mostrou um mago, que trouxe Quarion de volta a forma de carne.
Resolveram então sair de dentro da pirâmide para se recuperar, até porque as mãos do elfo ainda estavam petrificadas. Voltaram 2 dias depois e decidiram depositar a trompa nas mãos da estátua para ver se acionava algo, e funcionou. O som de uma porta de pedra se abrindo nos andares inferiores fez com que os aventureiros concluissem que haviam libertado a dona da voz misteriosa, montaram uma estratégia de combate que foi o que lhes deu vantagem quando enfrentaram a terrivel Naga Negra que estava em busca de seu alimento, Croonallway estava certo no fim das contas, mas havia sido enganado pelas mentiras da serpente. Ela era uma conjuradora poderosa, mas os bravos guerreiros rapidamente a partiram ao meio.
Desceram então até a sua toca, onde recolheram o tesouro para depois sairem, vitoriosos mais uma vez.

View
Viagem na Floresta, Parte I
Mudança de rumo

19/05/425ac
O grupo rumou para o norte voltando seu foco para seus principais objetivos. O destino era a cidade de Haven, porém no caminho pela floresta os aventureiros perceberam que estavam sendo espionados. Um descuidado ladino foi descoberto e os levou até um outro grupo de mercenários que tinham como objetivo caçar alguns dos aventureiros do Grupo, incluindo Croonallway que estava presente no momento. Graças a astúcia do bruxo, nossos heróis, que estavam em minoria, os mercenários acharam que estavam sendo cercados e resolveram negociar a liberdade dos aventureiros. Contaram também sobre uma guilda que organizava missões para esses grupos e havia pago para eles a missão de capturar Azael Castian, Belfer O Traidor do Sangue, Croonallway, Gakhan, Melv, Trundle, Lindara, Diel, Bertold, Venslav e Atrox. Eles não sabiam os motivos nem a identidade do contratante, mas indicaram a localização da guilda que ficava no porto de Ankatavaka. Croonallway explicou aos mercenários os motivos pelos quais estavam sendo preseguidos e a trama sobre os dragões e a figura misteriosa que viram em Casquete, depois disso mudaram o curso da viagem para Ankatavaka a Oeste.
Um dia depois, cruzando a floresta para Oeste, encontraram o local onde Croonallway havia perdido 3 de seus amigos para a fúria de um dragão verde, a carcaça da criatura dava um tom morbido ao cenário da floresta onde 2 trolls surgiram e teriam destruido os aventureiros se Croonallway não agisse com esperteza mais uma vez livrando a pele de seus amigos.
279cf692d93a01c73708f046ca884452.jpg

View
Cebeças de Dragões, parte ?
Uma guilda de aventureiros

21/05/425ac
Chegando em Ankatavaka, Croonallway, Estranho e Quarion foram direto até a guilda que havia contratado os mercenários para caça-los. Croonallway estava com sua identidade protegida por um disfarce mágico e os outros dois não estava sendo caçados então entraram sem problemas na pequena cidade portuária.
Dentro da guilda foram atendidos por Gerard, que era o dono da guilda 3 arcos e fora o companheiro da primeira empreitada do bruxo mercador, mas graças a magia não reconheceu Croonallway. Se passando por aventureiros procurando trabalho os 3 obtiveram algumas informações sobre o contrato de caça ao seu grupo, além de outras missões.
Com a chegada do grupo todo acamparam na floresta, fora da cidade para que nenhum dos procurados fosse descoberto. Aqueles que podiam voltaram para vender espolios e abastecer o Grupo. Durante um desses passeios Estranho foi contatado por um mensageiro da Ordem da Caçada Eterna ele vinha avisar que seu rito de passagem estava próximo e que o caçador tinha um novo alvo.

Ele entregou ao Estranho um diário com a pesquisa de um mago. O alvo era um gato, que aparentemente estava associado a diversos acontecimentos terríveis e seres malingos: um manto negro tirano, a queda de Cordilheira Comprida e mais recentemente uma suspeita caravana de nômades do deserto pela Abanasinia. O objetivo era caçar e abater o animal(ou besta) antes que provocasse mais mal. Estranho levou essas anotações até seus novos companheiros.

Combinaram que a noite dariam um jeito de roubar os livros de notas da guilda para pegar mais dados sobre quem os estava caçando. Arquitetaram juntos um brilhante plano para alcançar seus objetivos. Mais a noite, Croonallway se transformou em Gerard e acompanhou Estranho e Quarion que escoltavam Bertold Vedovich e Gakhan como se fossem negociar sua captura, assim enganaram tanto os guardas da entrada da guilda quanto o chefe da guarda noturna. Recuperaram então alguns livros de notas onde constavam informações sobre a missao de sua caçada, o nome de um dos contratantes Tenenoss Sass de Cordilheira Comprida e Tamerim meio-elfo de Sansão, lá continham também informações sobre a caçada a um kender, promovida por Nasir e também sobre um leilão de monstros, organizado em Daltigoth, o que chamou a atenção dos aventureiros foi que o leilão oferecia preços especiais por cabeças de dragões, remetendo a missões passadas.
Após discutir pelo que haviam descoberto decidiram viajar para Sansão, tentar descobrir por que e quem estava os culpando e pagando pela sua captura.
Porém foram surpreendidos pelo aparecimento de um sacerdote ferido…

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.